Verificação de identidade gryfo

Verificação de identidade garante proteção de dados e segurança ao usuário

Para garantir maior segurança no acesso aos serviços online, é necessário entender as formas de verificação de identidade.

A pandemia do novo coronavírus acelerou de forma drástica a maneira como as pessoas e organizações se relacionam com a tecnologia. Com essa maior exposição, foi necessário reforçar a segurança, especialmente no que se refere à verificação de identidade

Nesse “novo normal”, o acesso ao ambiente online tornou-se quase inevitável, e, grande parte do que poderia ser solucionado presencialmente, agora é feito via dispositivos digitais. Se por um lado a tecnologia veio para facilitar a vida dos usuários e instituições, por outro, também exige cuidados para evitar golpes, violação de dados e outros prejuízos.

Desse modo, os usuários devem redobrar a atenção ao utilizarem eletrônicos, ao fornecerem seus dados e informações pessoais por meio da verificação de identidade, obtendo, assim, maior segurança no ambiente online.

I – Verificação de identidade

Quando se fala em proteção de dados, automaticamente remete-se a métodos que podem garantir a segurança de governos, instituições financeiras, entre outros usuários. A verificação de identidade pode ser feita por meio de diversas camadas, garantindo a proteção dessas informações.

Além dos sistemas dinâmicos, é fundamental o uso de técnicas que utilizem autenticação em multiníveis de maneira descentralizada, usando tecnologias de registros criptografados, como blockchain, por exemplo. Métodos como verificação biométrica, reconhecimento facial e verificação de documentos de identidade digital também são comuns.

A verificação de identidade é utilizada quando o indivíduo e seu documento de identificação não estão presentes fisicamente. A ferramenta pode ser útil, por exemplo, como scanner de passaportes em aeroportos no momento da liberação de portões eletrônicos ou por instituições financeiras, quando um cliente desejar abrir uma conta. 

Ainda que esta seja uma tecnologia tímida no Brasil, empresas que estão atualizando seus sistema de segurança já investem nesses métodos como forma de garantir a integridade dos dados da instituição e de seus usuários. A recomendação é feita, inclusive, por especialistas, que orientam a utilização de diversas camadas de processos de avaliação de identidade.

inovação biometria facial gryfo

II – Liveness Detection

Os sistemas de reconhecimento facial, apesar de serem uma tecnologia nova, já são alvo de fraudadores, que buscam mecanismos para burlar o método e acessar ambientes privados. Para solucionar um problema nesse nível, foi desenvolvida a tecnologia Liveness Detection, que visa detectar se a identificação está sendo feita com uma pessoa real.

Dessa forma, pode-se descartar truques e fraudes, como o uso de imagens, vídeos ou máscara, no sistema de biometria facial. Com a tecnologia Liveness Detection é verificada a semelhança entre a imagem recebida e os dados contidos no sistema. Isso é possível por meio de inteligência artificial e redes neurais aplicadas à detecção de faces, que reconhecem falsificações.

III – Biometria Facial

A biometria facial é uma tecnologia muito comum na verificação de identidade e utiliza o registro e a codificação das informações para identificar um indivíduo a partir da análise do rosto. Em geral, são utilizados aproximadamente 80 pontos nodais, como a distância do nariz aos olhos, da boca ao queixo, marcas e cicatrizes, contorno e formato da face, entre outros.

Por meio do mapeamento desses pontos, é criada uma imagem tridimensional, transformando as informações em uma sequência de números que o sistema armazena e reconhece.

IV – Face Match

Assim como o Liveness Detection, o Face Match utiliza a inteligência artificial para proteger os usuários, evitando invasões e fraudes. A ferramenta é uma espécie de identificação biométrica, que compara uma selfie e a foto usada no documento, confirmando se o usuário que está tentando acessar o sistema é o proprietário do documento e/ou conta. 

Através de um conjunto complexo de algoritmos e machine learning, o Face Match calcula a probabilidade de correspondência entre as imagens, negando ou autorizando o acesso dependendo do resultado obtido.

Informações sobre essas e outras ferramentas podem ser verificadas no site da Gryfo.


Notícia divulgada em Estadão.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *